Segundo dados da E-bit, referência em inteligência do mercado de digital, o Comércio eletrônico no Brasil surpreende com um alto crescimento, mesmo em tempos de crise. Nos últimos 5 anos, a média de crescimento foi de 22,6%. Para 2015, a expectativa de faturamento ultrapassa 40 bilhões de reais!

Além do crescimento, o comportamento do consumidor vem mudando rapidamente. Hoje, mais de 37% dos acessos nos e-commerces são feitos pelo celular. Junto com a forma de navegar, algumas datas vem ganhando destaque, como é o caso da Black Friday que em apenas 1 dia foi responsável por mais vendas do que os 15 dias que antecedem datas tradicionais, como o Dia dos Pais, das Crianças e das Mães!

Outra grande mudança percebida é que o número de lojas online cresceu 42% no 1º semestre de 2015. Esse aumento advém principalmente da crise e da baixa barreira de entrada. Os logistas veem o e-commerce como uma oportunidade fácil para fugir da crise e impulsionar as vendas.

Com todas essas mudanças, os e-commerces que se adaptarem mais rápido vão conquistar o mercado em 2016. Portanto, a Pareto trouxe aqui vários dados interessantes da E-bit e as principais tendências para você priorizar e garantir sucesso no próximo ano.

Boa leitura!

Datas Especiais: suas vendas e tendências

Datas especiais representam uma das maiores oportunidades para aumento das suas vendas. Veja a variação das principais nos últimos 4 anos e se planeje para aproveitar ao máximo em 2016.

Black Friday e Cyber Monday

A Black Friday está apenas atrás do Natal em vendas online. Neste ano, apenas no dia da Black Friday, os e-commerces venderam um total de 1,64 bilhões de reais, o que representou um crescimento de 38% em relação a 2014.

Além de expressivo faturamento, ela apresenta um ticket médio de 580 reais, sendo o maior entre todas as datas.

Quando consideramos também a quinta-feira que antecede a Black Friday, o fim de semana e a Cyber Monday, o número fica ainda mais expressivo, chegando a 3,02 bilhões de reais no total dos 5 dias.

Portanto, para 2016, se preparar para as vendas nessa época é obrigatório para qualquer e-commerce.

Natal

No ano passado, o crescimento em vendas no Natal foi de 37%, atingindo incríveis 5,9 bilhões de reais em faturamento. Segundo a E-bit, a expectativa é que o Natal desse ano alcance 7,2 bilhões de faturamento!

Outras datas especiais

Apesar de importantíssimo o preparo para o Natal, outras 4 datas comemorativas tem grande representatividade no faturamento do Comércio Eletrônico. Dia das Crianças, dos Pais, dos Namorados e das Mães, já ultrapassaram 1,4 bilhões em vendas cada um.

Navegação e compras pelo celular

Uma das principais tendências do e-commerce em 2016 será o foco ainda maior em dispositivos móveis. Segundo dados do relatório Webshoppers da consultoria E-bit do primeiro semestre de 2015, o volume de compras através de dispositivos móveis representou 10,1% do faturamento total do semestre, gerando uma evolução de 44% em relação ao mesmo período do ano passado.

“Mobile é o caminho mais curto entre lojas (físicas ou online) e seu consumidor.

Ter um site responsivo não é apenas um diferencial e sim uma necessidade real de negócios para atrair consumidores e converter vendas. Mobile commerce é cada vez mais uma realidade para grandes ou pequenos varejistas” Fabiano Destri Lobo, diretor executivo do MMA (Mobile Marketing Association)

Devido a importância desse assunto, separei uma análise que mostra uma das principais mudanças de comportamento e o que você deve fazer para não ficar para trás nesse fator tão importante.

Compras pelo celular dentro da loja física

Sim, o celular está influenciando as compras dentro da loja física. As pessoas estão acessando lojas concorrentes, analisando produtos e comparando preços de produtos dentro da sua loja física! 14% dessas pessoas efetuaram a compra através de um dispositivo móvel estando dentro de uma loja física nos últimos seis meses.

Há pouco tempo atrás, nós tínhamos as opções de comprar ou online pelo computador ou presencialmente na loja física. Não haviam formas de misturar os benefícios de, por exemplo, experimentar um sapato e comparar preços. No máximo podíamos anotar o modelo e fazer a pesquisa de preço e compra mais tarde, em casa.

Hoje o meio digital e físico está cada vez mais difícil de separar. Veja neste infográfico da pesquisa E-bit – Hábitos de Compra e Mobile, de junho:

Adaptação do e-commerce para mobiles

Se o seu e-commerce não se adapta ao celular do seu cliente, você já está atrás dos seus concorrentes. Ele deve ter um layout responsivo e um rápido carregamento.

Ter um site ou layout responsivo significa que o formato se adapta automaticamente ao dispositivo utilizado (celular, tablet ou computador). Assim, a aparência do site vai sempre mostrar os principais elementos em destaque, independente do tamanho da tela.

Agora, imagine você comparando entre concorrentes os preços de uma camisa pelo celular. Se um dos e-commerces demorar muito para carregar, você provavelmente vai desistir de verificar nele. Isso se agrava quando a pessoa está navegando e olhando vários produtos, pois ela vai ter que esperar carregar seu site cada vez que quiser ver um novo produto. Então, velocidade do seu e-commerce, também, é uma grande prioridade. Recomendo testar a velocidade de carregamento aqui.

Para te mostrar que o assunto é ainda mais importante, o Google, em Abril desse ano, lançou o algoritmo chamado mobile-friendly (amigável ao celular). Com isso, os sites que se adaptam bem ao celular, são priorizados nas buscas do Google quando feitas através de mobiles. Verifique como o Google avalia seu site nesse link aqui.

Maior foco nos usuários através de tecnologias e canais de relacionamento

Além de uma transição para o uso de celulares e crescimento de vendas na Black Friday, os e-commerces estão cada vez mais sendo gerenciados como Negócios Digitais. Usabilidade, otimização, remarketing, relacionamento e mídias sociais já fazem parte do dia a dia dos gerentes de e-commerce.

Usabilidade e otimização

Muito se fala em atrair mais e mais clientes, mas e sobre facilitar o processo de busca e compra? Com o aumento da competitividade, o investimento em facilitar as buscas, praticar crosselling e upselling, mostrar produtos relacionados ou já visualizados e campanhas de remarketing, serão grandes tendências do e-commerce para 2016.

Intensificação no uso das redes sociais

Não é nenhuma novidade que as mídias sociais vão continuar crescendo. A influência delas na economia é cada vez maior, assim como a importância do relacionamento e transparência das organizações.

Sobre as redes sociais, escolha as melhores para seu segmento e utilize da melhor forma. Não queira ter presença em várias e não dar conta de atualizar e trabalhar bem cada uma delas. Por exemplo, o Seth Godin, um dos maiores especialistas americanos de marketing, não usa Twitter porque diz que não tem tempo de mantê-lo sempre atualizado, apesar de todos os dias fazer pelo menos uma publicação no seu blog!

Relacionamento com clientes como base para o sucesso

Reclame Aqui, Avaliações no Facebook e Google +, comentários no seu site, e-mails, ligações no SAC e mensagens no chat, são apenas algumas das formas nas quais seus clientes podem fazer um pedido de suporte, seja para comprar algo novo, seja para reclamar e pedir suporte de um produto.

Se programe para monitorar todas elas e responder da melhor forma possível seus clientes. Para facilitar, veja a dica #6 Suporte ao Cliente de E-commerce nesse infográfico que fiz, nele dou algumas ótimas dicas para você garantir um excelente atendimento aos seus clientes.

Aumento no número de e-commerces

Fácil criação de uma loja virtual atrai em tempos de crise

Cada vez é mais fácil criar um loja virtual. O avanço da tecnologia hoje permite que muitos microempresários e pessoas físicas criem um e-commerce, isso em poucos dias e utilizando uma excelente plataforma. Com isso, produções artesanais e pequenas lojas devem migrar em grande escala para o meio digital, já no início de 2016.

Além da facilidade de iniciar um e-commerce, plataformas baseadas em WordPress quebram o paradigma de que o comerciante deve depender de uma agência ou freelancer cada vez que vai adicionar um novo produto. Assim, se torna possível gerir uma loja virtual de forma muito mais fácil e barata.

WordPress é preferido entre os e-commerces

A plataforma WordPress é uma das responsáveis por essa migração. Com milhares de colaboradores em todo o mundo, ela domina cada vez mais o mercado e se torna uma das melhores opções para os mais variados tamanhos de e-commerces.

Nesse sentido, o Leadsite, plataforma de e-commerce da Pareto, ganha vantagem entre as nacionais. Pois foi totalmente construída a partir do que tem de melhor para WordPress, possuindo ferramentas baseadas nos melhores e-commerces do mundo, como a gigante Amazon.

E-commerces devem ser levados a sério

Falta de Planejamento faz 70% dos e-commerces não terem nem 10 vendas ao mês

Esse triste dado é da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) e resulta do grande número de criação de e-commerces sem um planejamento. A maioria desses e-commerces não investem no básico que qualquer negócio, digital ou físico, deve possuir. Falta segurança, divulgação, relacionamento com cliente, entre vários fatores que os impedem de crescer.

Em 2016, para não fazer parte desse número, recomendamos que trate seu e-commerce como um negócio digital. Use uma plataforma pensada para vendas, uma gestão através de indicadores de desempenho (KPIs) e uma divulgação bem feita.

E-bit: tendências do e-commerce para 2016 – Conclusão

Recapitulando, as principais tendências para 2016 são:

  • Dados do e-commerce no Brasil, segundo a e-bit, empresa referência no meio digital em inteligência e satisfação de consumidores;
  • Datas especiais e os 1,6 bilhões em vendas, em apenas um dia, na Black Friday;
  • 10% do faturamento vindo de dispositivos móveis e seu uso no momento de compra (no meio digital e meio físico);
  • Maior foco nos usuários através de tecnologias e canais de relacionamento;
  • Aumento de 42% no número de e-commerces, plataformas em WordPress e muitos e-commerces inativos.

Espero que elas te ajudem a entender melhor quais as tendências e com o que se preocupar ao iniciar ou otimizar seu e-commerce, em 2016.

Sei que são diversos pontos, mas estaremos totalmente disponíveis para ajudá-los a se planejar e executar essas melhorias, que, com certeza, vão colocar seu e-commerce muito a frente dos seus concorrentes.

O que achou do artigo?

Quero muito saber sua opinião. Deixe aqui sua crítica, elogio e opinião. Se tiver gostado, cadastre seu e-mail abaixo para que eu possa te avisar sempre que lançarmos um novo artigo, prometo não enviar SPAM.

Por fim, algum amigo seu tem um e-commerce ou poderia ter sucesso com um? Então, mostre que se importa e compartilhe com ele!

Fontes e referências: E-bit, ABComm, Profissional de E-commerce, G1 Globo e E-commerce Brasil

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Bitnami